Feeds:
Posts
Comentários

“Enquanto isso, a reposição da remuneração dos servidores não vai passar de 42%. O que estão fazendo com esta diferença? É isso que queremos saber”, questionou.

Assista o pronunicamento do vereador Vanderlei abaixo:

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 14 de junho de 2011

Foto: Câmara Municipal de Blumenau

Desde o ano de 2004, o orçamento da administração direta do município cresceu 108%. Na época era de R$330 milhões. Hoje alcança a cifra de R$689 milhões. O aumento foi registrado pelo vereador Vanderlei de Oliveira (PT). “Enquanto isso, a reposição da remuneração dos servidores não vai passar de 42%. O que estão fazendo com esta diferença? É isso que queremos saber”, questionou.

O petista ainda indagou o executivo sobre os gastos com publicidade. Em um ano, o governo municipal investiu R$11 milhões na área. “Se um governo é bom, não precisa gastar com a divulgação dos seus atos desta forma. Perguntem quem são os verdadeiros donos da empresa de comunicação, Propague, que fez um único contrato de R$4,5 milhões com a prefeitura. Perguntem!”, sugeriu o petista.

Vanderlei também apresentou na tribuna o plano de governo de João Paulo Kleinubing e Rufinus Seibet, onde constava a promessa de que haveria um enxugamento dos cargos comissionados, reduzindo-os a metade. “Hoje são 402. A meta era chegar a 140. Cumpriram?”. O parlamentar prosseguiu o discurso afirmando que quando um político fala, deve cumprir o que disse. “Quando escreve, então, daí não tenho dúvida, tem que cumprir até duas vezes. Vamos cobrar que eles  respeitem os servidores, que conversem e resolvam a situação não só dos servidores, mas de quem precisa do serviço público na cidade de Blumenau”.

Por fim, pediu aos interlocutores que não tentem partidarizar a greve. “Trata-se de um movimento do povo de Blumenau. Quero pedir respeito aos servidores porque esta afirmação ofende aos que não pertencem a partidos políticos. A imagem de Blumenau já vem sendo arranhada há bastante tempo, principalmente com os recentes aumentos do transporte coletivo. Somos motivo de chacota em outras cidades da região. Este governo não tem o direito de continuar errando nas planilhas do passe de ônibus. Blumenau não tem o direito de continuar nos envergonhando”.

O Vereador Vanderlei (PT) recebeu em seu gabinete, na manhã de hoje, as honrosas visitas de dois de seus ex Professores na FURB, Arlindo Bernardt e Almerindo Brancker que construíram suas belíssimas histórias, também na educação em SC.

Foto: Daniel Zimmermann / Folha de Blumenau

O vereador de Blumenau, Vanderlei de Oliveira (PT) protocolou um projeto de lei pedindo a revogação da tão falada Lei das Placas. Aquela lei da publicidade, que começou a vigorar em 2009, e que determina limites de tamanhos em placas, fachadas de lojas e outdoors. Segundo o parlamentar, ao invés de resolver os problemas de publicidade na cidade, a Lei das Placas criou um problema ainda maior: gerou notificações e multas a empresas e entidades.

– A lei é prejudicial e não benéfica como pretendia ser. Ela dificultou a vida de muita gente _ defende Vanderlei.

Para revogar esta lei são necessários nove votos. Vanderlei diz que consegue este número.

– Se não tivesse possibilidade de revogar, eu não teria apresentado a lei.

Em abril deste ano, o Santa mostrou que se permanecer com o efetivo atual e neste ritmo de trabalho, a fiscalização da Lei das Placas em todas as 3.896 ruas de Blumenau vai demorar 45 anos e seis meses para ser concluída. Desde que a Lei Municipal 657 começou a vigorar, em maio de 2009, apenas 171 ruas foram fiscalizadas.

Fonte: Jornal Santa Catarina ‘Blog da Giovana’

Dona Eloir vai trocar os três cômodos de um porão por apartamento novo em Blumenau Foto: Rafael Alencar/PR

O apartamento número 14, do Residencial Paineiras, no conjunto habitacional Mathias Bornhofen, em Blumenau (SC), vai mudar a vida da cozinheira aposentada Eloir dos Santos de Liz. Em 2008, essa catarinense, que hoje tem 66 anos, viu o chão de sua casa afundar e as paredes racharem durante as chuvas de novembro daquele ano. Desde então, Eloir teve de deixar a casa com jardim no bairro Garcia para viver no porão da residência da filha. Nesta tarde, durante a entrega dos 580 apartamentos do Minha Casa, Minha Vida, Eloir vai receber das mãos da presidenta Dilma Rousseff as chaves da casa nova.

“Eu sonhei tanto com esse dia”, conta ela, emocionada.

Naquela segunda quinzena de novembro o Vale do Itajaí – formada pela união de 53 municípios agrupados em quatro microrregiões – foi bastante abalado pelas enxurrada. Blumenau, uma das microrregiões, por consequência, foi o município mais danificado. Desde então, Eloir habita o pequeno espaço composto por três cômodos, num terreno em que vivem quatro famílias. Lugar bem diferente da sua casa que tinha flores na frente e churrasqueira, onde reunia com frequência os oito filhos e os 15 netos para encontros familiares. “Hoje, o meu quarto é minúsculo. Cabe uma TV. Na salinha, coloquei o guarda-roupa, e o outro espaço ficou a cozinha bem pequena”, descreve, com a tristeza de uma cozinheira que tinha em sua casa amplo espaço para cozinhar de tudo. “Agora vou ter minha casa de novo, só para mim”, comemora.

Eloir dividirá sua felicidade com centenas de famílias que vão se mudar para o Mathias Bornhofen, erguido com investimento de R$ 26 milhões do programa Minha Casa, Minha Vida. Das 580 famílias, 220 perderam as casas com as chuvas que devastaram o Vale do Itajaí. A inauguração tem a presença da presidenta Dilma. “Meus filhos não acreditaram que eu ia receber a chave da presidenta. Eles disseram que deve ser outra Dilma, não a presidenta”, ri Eloir. Para provar à família, vai levar as netas Naittane de Liz, 18 anos, e Caroline dos Santos, 10 anos, como testemunhas do grande dia.

Outros beneficiados – O casal Lauro Lemos Volf e Maria Tereza também tem o que comemorar. Deixarão de pagar aluguel, ônus que surgiu após perderem parte da casa no bairro de Nova Esperança, com as chuvas daquele ano. A chefe de família Adriana Custódio Gonçalves também se prepara para mudar com marido e as duas filhas para a casa nova. Eles ocuparão o apartamento 33 do Residencial Araucárias. Antes, moravam numa casa situada à Rua Coripós e perderam tudo com o desmoronamento provocado pelas chuvas intensas.

Na mesma Coripós, a diarista Maria Patrícia Bernadino tinha uma residência habitada com os dois filhos. Depois de perderem a casa, passaram a viver numa moradia provisória na cidade. Agora, todos vão trocar a morada precária pela habitação mais digna. Maria e os filhos recebem hoje as chaves do apartamento 42, no Residencial Paineiras. Serão vizinhos de Maria Janete da Silva, que perdeu a casa em que vivia com o marido e os dois netos, no Morro do Macaco, um dos pontos mais atingidos pela tragédia de 2008.

Fonte: Blog do Planalto

Logomarca do Plano Brasil Sem Miséria - Governo Federal

Nos últimos anos, o governo do Brasil se aproximou, como nunca, dos mais pobres. Assim, 28 milhões de brasileiros saíram da pobreza absoluta e 36 milhões entraram na classe média.

Mesmo com este esforço, 16 milhões de pessoas ainda permanecem na pobreza extrema. Entre outros motivos, porque há uma pobreza tão pobre que dificilmente é alcançada pela ação do Estado. Ela como quê se esconde, perdida em grotões longínquos do nosso imenso território ou em zonas segregadas das grandes cidades.

São pessoas tão desamparadas que não conseguiram se inscrever, até mesmo, em programas sociais bastante conhecidos, como o Bolsa Família. Muito menos ter acesso a serviços essenciais como água, luz, educação, saúde e moradia.

O Plano Brasil Sem Miséria foi criado exatamente para ir aonde elas estão. Para romper barreiras sociais, políticas, econômicas e culturais que segregam pessoas e regiões.

Entre outras coisas, vai identificar e inscrever pessoas que precisam e ainda não recebem o Bolsa Família. E ajudar, quem já recebe, a buscar outras formas de renda e melhorar suas condições de vida.

Para isso, desenvolveu uma nova estratégia, chamada “Busca Ativa”, e está montando o mais completo Mapa da Pobreza no país. Um mapa onde a pobreza não é apenas um número: ela tem nome, endereço e sobrenome.

O Brasil Sem Miséria também está desenhando um Mapa Nacional de Oportunidades, identificando os meios mais eficientes para estas pessoas melhorarem de vida.

Só assim os nossos olhos, e o braço do Estado, vão alcançar aquela pobreza tão pobre que a miséria quase a faz invisível.

Assim, todo o país vai sair lucrando, pois cada pessoa que sai da miséria é um novo produtor, um novo consumidor e, antes de tudo, um novo brasileiro disposto a construir um novo Brasil, mais justo e mais humano.

Fonte: Site do Plano Brasil Sem Miséria

A defesa do meio ambiente por parte das autoridades de Blumenau está restrita aos discursos. Na prática, as ações vão na contramão dos esforços de diferentes setores da sociedade para manter e preservar o que ainda resta da nossa exuberante natureza. O descompasso governamental talvez não seja por má vontade ou intenção, mas sim porque falta uma política ambiental consequente, que dê um norte à administração e ponha fim aos absurdos cometidos quase que diariamente na cidade.

A política da Faema está enterrando uma das organizações mais antigas de defesa do meio ambiente em Blumenau e no Brasil. Os exemplos de descasos contra a natureza estão por toda a parte, basta um mínimo de atenção para enxergá-los. Percebe-se claramente a falta de compromissos com as calhas de rios, como do Testo, Garcia, Fortaleza, Velha, Itoupavas e Vila Itoupava, que estão tendo as margens aterradas. Outros estão tão assoreados que não parecem mais rios, e sim armadilhas.

Cometem-se atos ilícitos ambientais, dando a aparência de normalidade com a alegação de que tudo o que está sendo feito pela prefeitura teve o aval da Faema. A maioria das enchentes e alagamentos em diversas regiões de Blumenau é decorrente da falta de comprometimento do governo com o meio ambiente. Fala-se muito em preservação, mas pouco se faz.

Os nossos símbolos de luta em favor da natureza estão abandonados, como o Museu Fritz Müller, o Parque Foz do Ribeirão Garcia e o Parque São Francisco. O mesmo tratamento está sendo dado ao Parque Municipal das Nascentes e ao Parque Nacional da Serra do Itajaí. Outra violência ambiental cometida em Blumenau pode ser constatada no terreno ao fundo do Jeep Clube, no Bairro Fortaleza, com a supressão de extensa e exuberante mata.

Estes são alguns dos exemplos da falta de compromisso da atual administração para com o meio ambiente. Existem muitos outros. Ainda é tempo, basta vontade política e comprometimento. Na prática.

Vanderlei Paulo de Oliveira

“Na última década, qual era a maior jóia de Blmenau?”. A pergunta foi feita pelo vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT). Ele mostrou indignação ao ver a situação enfrentada pelo Samae. Para o parlamentar, a instituição, antigamente, era referência em atendimento. “O que fizeram com ela? Foi estragada, deteriorada e hoje deixa a nossa população sem água nos quatro cantos da cidade”.

O petista já entregou denúncias ao Ministério Público atestando que as certificações da entidade foram conseguidas de forma fraudulenta. “As ISOs foram compradas. Há muito tempo falamos disso. Foi-se a época em que o Samae era bem administrado”.

O discurso ainda contou com uma análise sobre o aeroporto Quero-Quero. O tão sonhado portão de embarque e desembarque não se tornou realidade até então. “Aos fundos sobrevive o Aero Clube de Blumenau, uma das ONGs mais antigas da cidade. Os membros não conseguem fazer muito do que gostariam, pois não recebem apoio financeiro”.

Antes de encerrar afirmou que já pediu ao líder do governo, Fábio Fiedler (DEM), a planilha do transporte coletivo. “Acho que ela não existe porque até agora não a recebi. A população também não a conhece”.

Os sites da grande imprensa, praticamente “comemoram” o índice de inflação oficial – o IPCA – divulgado pelo IBGE. Com uma variação
de 0,77% em abril sobre os preços de março deste ano, para a vibração da grande mídia, a taxa acumulada em 12 meses passou para 6,51% –  0,01% acima da meta fixada pelo governo.
Claro que as pressões inflacionarias existem e devem ser enfrentadas com seriedade e firmeza. Mas, também, com serenidade e foco naquilo que, de fato, provoca elevação dos textos.
A gente não se cansa em repetir aqui:
Não há inflação de demanda, isto é, não é o poder de compra da população que leva ao consumo exagerado, e, com isso à elevação de preços.
Quer saber o que provocou a inflação? Não precisa ser gênio da economia e nem “iluminado”. É só olhar os próprios dados do IBGE que se conclui que o fator que elevou a inflação é – reparem só –  o aumento do  preço dos combustíveis. Mais precisamente o aumento do preço do etanol, porque a gasolina continua sendo vendida pela Petrobras nas refinarias aos mesmos R$1,05  de dois anos atrás.
E o que mostra o IBGE?
A inflação do mês de abril foi de 0,77% – praticamente a mesma de março quando registrou 0,79%. Deste percentual, 0,3% deveu-se ao aumento de preço no grupo Transporte, obviamente, mais impactável pela alta dos combustíveis. Se o preço do combustível estivesse estável (ou até em queda, como seria normal nesse período de início de safra da cana de açúcar a inflação teria sido de 0,47%, portanto).
Como a inflação de abril de 2010 (quando o preço dos transportes não subiu) foi de 0,57%.
Logo, a inflação de 2011, sem a pressão dos combustíveis, teria sido menor que a de 2010.
Só isso já deixa evidente que não há “alta generalizada de preços”. Tivemos, como ocorre todo início de ano, altas nos setores de alimentos e bebidas, além de aumentos provocados pela elevação das tarifas de ônibus. Estes, porém, já pararam de subir significativamente. O nome da inflação brasileira, agora, é etanol.
É por isso que o Tijolaço tem mostrado aqui, aqui e aqui, que é intolerável a passividade da Agência Nacional do Petróleo diante da manipulação de estoques e preços  que está acontecendo por parte das usinas, distribuidoras e até dos postos de gasolina. Mostramos com dados públicos e oficiais que o preço do álcool no atacado caiu 30% em treze dias, embora não tenha havido se não microscópicas baixas nas bombas de combustível. E se o álcool hidratado não baixa, também não baixa o preço do álcool anidro que é misturado – e encarece – à gasolina.
Ninguém esta pedindo que a ANP dê uma fiscal de “Sarney” e saia por aí fechando postos de gasolina. Mas é inadmissível que a ANP não esteja utilizando dos poderes que lhe foram conferidos pela Presidente Dilma Rousseff. Ela não pode ficar omissa diante da ausência de repasse da baixa de preço do álcool ao consumidor.
Está certo o ministro Guido Mantega em dizer que a inflação vai baixar em maio. Vai sim. E poderia baixar muito mais depressa se as determinações de Dilma Roussef fossem seguidas.
A medida provisória assinada por Dilma, que confere a ANP o papel de fiscalizadora do setor inclui o etanol no Sistema Nacional de Estoques de Combustíveis, criado por lei em 1991, na qual se proíbe a manipulação de estoques e se prevê em penas para quem o praticar.
É o interesse público que está em jogo. O cidadão tem direito de saber por quanto é comprado o combustível que lhe é vendido a preços caríssimos. E não venham com a história de que são os “impostos”.Os impostos altos ou não, também continuam os mesmos. Não mudaram.
E se a ANP não agir, então, só restará uma dúvida: Se ela é inútil ou se é cúmplice…
Por Brizola Neto, no Tijolaço

Dois mil e dez ficará marcado na história política do Brasil como ano em que o País deu um passo decisivo e muito importante para pôr fim à eleição e concessão de emprego público de pessoas condenadas pela Justiça. Lei da Ficha Limpa, projeto de iniciativa popular, com mais de um milhão e meio de assinaturas, vai evitar que muitos “elementos” se escondam atrás de cargos eletivos. Embora o Supremo tenha decidido que a lei vale somente a partir das eleições de 2012, não há como não reconhecer a importância dela para o fortalecimento da nossa democracia e garantia ética no trato da res pública. Inspirado na legislação aprovada pelo Congresso Nacional, a Câmara de Blumenau também aprovou uma lei semelhante no âmbito municipal. A proposta proíbe pessoas condenadas em segunda instância de assumirem cargos “políticos” nos poderes Executivo e Legislativo. A lei atende o clamor da sociedade por uma política limpa – feita e representada por pessoas de conduta ilibada. Porém, para que a Lei da Ficha Limpa blumenauense atinja os objetivos desejados, é preciso que a sociedade saiba quem são as pessoas que ocupam cargos em comissão na Prefeitura e na Câmara. Nós, vereadores, que aprovamos a lei, temos por obrigação fiscalizar o cumprimento dela. Também temos interesse que seja cumprida integralmente. Até por uma questão de justiça.

Assim, apresentei o projeto de lei 6075/11 que obriga a Prefeitura e a Câmara Municipal a disponibilizar nos respectivos sites na internet informações dos respectivos quadros funcionais. A matéria propõe que incluam a relação dos servidores em cargos em comissão, de função gratificada, contratados para mais de 30 dias para Assessoramento. Além do nome completo, deve estar especificado cargo, função e data da nomeação ou contratação. Também deve estar definida toda legislação definidora da remuneração paga pela municipalidade e carga horária de trabalho. O projeto é o mecanismo que fará com que a Lei da Ficha Limpa municipal seja eficiente e eficaz, e não uma “lei pra inglês ver”. O dinheiro público é sagrado, porque atende toda a população, por isso não pode pagar salário de pessoas que não o merece e até fiscalizar quem está nomeado e se trabalha.

Vanderlei de Oliveira

Vereador

3231-1517 / 9131-9193

A importância do Seminário de Gestores Municipais para Projetos do PAC 2 promovido pelo deputado federal Décio Lima (PT-SC), foi destacada pelo vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT). “Nunca na história de Blumenau a cidade conseguiu reunir tamanha representação de Santa Catarina para conhecer os projetos do governo federal para o estado e Blumenau”.

Prefeitos, vice-prefeitos, secretários, vereadores e assessores de mais de 200 municípios do estado compareceram. “Foi uma grande aula no sentido de orientar os gestores catarinenses sobre como alcançar os recursos que estão à disposição dos grandes e pequenos municípios de Santa Catarina”, assinalou.

Oliveira aproveitou para rechaçar críticas feitas antes do encontro, e lembrar que “se Blumenau tivesse feito o dever de casa, ou a capacidade de entender a diferença entre reconstrução e prevenção, não teria enfrentado tantos problemas”. Conforme o líder petista, após a catástrofe de 2008, o prefeito foi a Brasília com uma caixa de documentos, sem qualquer projeto, tentando a liberação de recursos.

A ida de sete vereadores a Assembléia Legislativa para levar o apelo de Blumenau e do Vale do Itajaí por mais segurança foi citada por Vanderlei. “Embora havia dito que não precisávamos mais reclamar, acho que vamos ter que continuar batendo nesta questão, porque é raro passar uma sessão em que um vereador não fale de segurança. Contudo, nos últimos anos, temos visto o decréscimo na política de atenção a segurança em Blumenau. Não adianta a base do governo dizer que estão trabalhando, porque a cada ano que passa, a cidade é pior atendida neste quesito. Por isso não dá para arrefecer, para silenciar. Vamos continuar cobrando destes que respondem por segurança publica em Santa Catarina”, assegurou.

Fonte: vereador Vanderlei de Oliveira – fone 9131-9193

Foto: ALESC

O presidente da Câmara de Vereadores, JOVINO CARDOSO NETO (DEM), se manifestou na tribuna da Assembléia Legislativa de Florianópolis durante a sessão

ordinária desta quarta-feira (13) sobre a falta de segurança em Blumenau e pediu o apoio dos deputados estaduais. “A insegurança toma conta do município. No ano de 2006 a cidade possuía 348 policiais militares, enquanto que atualmente há apenas 287 para quase 320 mil habitantes. Em Florianópolis e Joinville há 220 habitantes por policial”, relatou. Jovino apontou ser ainda pior a situação da policia civil. “Blumenau tem 4.600 habitantes para um policial civil. Viemos buscar

ajuda para reverter este quadro”, assinalou.

O parlamentar mencionou ainda a falta de segurança em outros aspectos, como a precariedade do Presídio Regional. “O presídio tem capacidade para aproximadamente 400 detentos e possui mais de um mil”, disse. Cardoso salientou ainda que pela terceira vez  foi cancelada uma audiência pública que seria realizada com o Secretário de Segurança do Estado, César Grubba. “Nos ajudem”, apelou o parlamentar ao apresentar  um abaixo- assinado, com mais de dez mil assinaturas, onde a comunidade clama por segurança“.

Jovino aproveitou para parabenizar o governador por ter enviado para Chapecó o reforço de 100 policiais e 100 câmeras de monitoramento e enfatizou que

Blumenau também possui esta necessidade. “Lá temos apenas 36 câmeras”, informou. O presidente do legislativo blumenauense e os demais vereadores da cidade representaram também várias entidades envolvidas no movimento contra a falta de segurança na cidade. Os vereadores Beto Tribess (PMDB), Vanderlei de Oliveira (PT), Vanio Salm (PT), Jens Mantau (PSDB),  Antônio João Veneza (DEM) e Helenice Luchetta (PSDB), também estiveram na capital.
Vereadores mirins acompanharam

A manifestação sobre a segurança em Blumenau foi acompanhada por um grupo de 13 vereadores mirins sentados nas galerias. Os estudantes, de várias escolas do município, estavam acompanhados pela coordenadora do programa no legislativo mirim, Elisete Maria Passold. Antes da sessão plenária, os estudantes visitaram o gabinete da deputada Ana Paula Lima.

Fonte: Câmara Municipal de Blumenau/imprensa

A partir das 9h, O Vereador Vanderlei estará no auditório da Rádio Nereu Ramos acompanhando o Secretário Executivo do Ministério das Relações Institucionais – Cláudio Vignatti, um dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional. Vignatti falará de sua atuação como Secretário do Ministério que tem como missão a articulação do governo da Presidente Dilma com o Congresso Nacional e a promoção do diálogo social.

Não perca. A programação inicia às 9:00h, ao vivo,  na Radio Nereu Ramos, 760AM.


Clique Aqui para companhe AO VIVO pela rádio online.

Foto: Câmara Municipal

Como resultado da Audiência Pública realizada na Câmara de Vereadores de Blumenau, dia 21/03, onde se abriu a discussão sobre a proposta do governo de Blumenau de proibir os ônibus dos municípios vizinhos a Blumenau de circularem pelos corredores exclusivos em Blumenau, por propostas do Vereador Vanderlei foram dados os seguintes encaminhamentos:

  1. As Câmaras de Vereadores do Vale do Itajaí serão oficiadas, sugerindo que façam Audiências Públicas, visando conhecer, discutir e deliberar sobre o assunto;
  2. Encaminhado e aprovado Indicação ao prefeito Municipal de Blumenau, visando à suspensão do prazo até que se tenha um projeto discutido, pactuado e aprovado na região.
  3. Encaminhados e aprovados dia 23, mais cinco Requerimentos dirigidos ao DETER, CONTRAMBLU, Consórcio SIGA, Empresas Operadoras da Região e, AMMVI, todos solicitando informações ou providências.
  4. Segundo notícias, os ônibus de fretamento serão deslocados dos corredores exclusivos para as pistas normais.

A Indicação e os Requerimentos vão anexos. Para as Câmaras de Vereadores, será remetido ofício, acompanhado da ata da Audiência Pública, assim que for aprovada.

 

Atenciosamente,

Assessoria do mandato do Vereador Vanderlei.

Blumenau, 23/02/11.

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 17 de março de 2011

Foto: Harley

“Desde 2005, a cidade tem sido abandonada”, afirmou o vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT), ao se referir ao bairro Vila Itoupava. “O prefeito abandonou aquela região. A localidade tem muita importância e não vou concordar com esta atitude. Os moradores dizem, às vezes, que aceitariam ser anexados a Massaranduba por se sentirem sozinhos há muito tempo”. A região Sul também não tem recebido a atenção da prefeitura, segundo o parlamentar.

O petista ainda condenou a privatização de parte do Samae. “Liguem pra Foz (Foz do Brasil) hoje e vocês serão atendidos por uma mensagem gravada. Tentem ser ouvidos no PROCON pra reclamar desta instituição. Liguem para a ouvidoria da prefeitura pra ver se vocês serão atendidos. Queria estar falando sobre coisas boas, mas infelizmente tenho que abordar coisas ruins”.

Vanderlei sugeriu ainda que os parlamentares que aprovaram a privatização para fazerem uma reunião com os responsáveis pela instituição. “Por fim, quero pedir que os blumenauenses juntem as mãos, tragam para si o sentimento de pai e mãe que Blumenau precisa ter neste momento. Nós não podemos perder a Vila Itoupava. Eles são filhos desta cidade”.

Foto: Arquivo AssessoriaFoto: Arquivo Gabinete

Plenária do mandato será neste sábado.

Foto: Câmara Municipal

O trabalho do vereador Vanderlei de Oliveira (PT) no ano de 2010 estará sendo avaliado neste final de semana   no auditório do Sindicato do Trabalhadores da Construção Civil. A plenária anual do mandato contará com a presença de filados do Partido dos Trabalhadores e de integrantes da comunidade que compõe a dos trabalhadores do mandato.

O objetivo, segundo Vanderlei, é analisar a imagem interna e externa do mandato e analisar as ações prioritárias no próximo período. A plenária ocorre desde de 2001, sempre no início do ano.

O evento começa às 16h no Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Rua Professor Luiz Schwartz, 85, Velha.

A imprensa está convidada a participar da plenária.

 

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 15 de março de 2011

“O programa de governo da atual estrutura que comanda Blumenau, que prometia regularizar os loteamentos clandestinos e áreas de ocupação, inclusive ruas de placas amarelas, dando dignidade às famílias de baixa renda, não está sendo cumprido”. A afirmação foi feita pelo petista VANDERLEI DE OLIVEIRA, ao relacionar mais de vinte pontos da cidade que não estão recebendo atenção da prefeitura. “Este é o tipo de documento que político não deve utilizar, porque não pode cumprir. As casas do povo simples de Blumenau são destruídas. Já para os amigos do imperador de Blumenau, a recomendação é de fechar os olhos ou fazer um ajuste de conduta”, disparou.

O líder do Partido dos Trabalhadores destacou que Blumenau recebeu recursos federais para o Plano Municipal de Habitação e para outras áreas, mas algumas obras começaram e pararam nos seguintes locais: Morro Dona Edite, Morro da Pedreira, Morro da Coripós, Morro da Emil Wehmuth, Morro do Arthur, do Wigando Wild e Geronimo Correia, Vila Jensen, Vila Vitoria, Vila União, residencial Celso Odelli, ruas Maria Pinheiro da Silva, Inês Radaveli e da Figueira, Vila Bromberg, Vila Feliz, Loteamento Residencial Figueira, Loteamento da Prefeitura (COHAB da rua Fritz Koegler), Loteamento da Prefeitura na rua Romário Conceição Badia, ruas Avelino Pering e Ida Wippel, no Progresso, Loteamentos cidade Jardim I e II, Morro do Laguna, no Fidelis, Loteamento Morada do Sol e Loteamento Nova Esperança.

Para Oliveira “se não se quer fazer, não se promete, porque disseram que iriam resolver o problema das ruas de placas amarelas. Quase sete anos depois nada fizeram, as comunidades estão abandonadas. Ao mesmo tempo, abandonaram e começaram novas áreas, com investimento de mais de 170 milhões. Temos ouvido que estas comunidades não são atendidas por serem de placas amarelas, o que não é verdade, porque muitas recebem atendimento”, denunciou.

Vanderlei também convidou a comunidade a participar na próxima segunda-feira, a partir das 15h, da audiência pública sobre a proibição de circulação do transporte intermunicipal pelos corredores exclusivos. “Parece que este projeto é secreto, porque até agora ninguém viu”, ironizou. Ele solicitou ao líder do governo que apresentasse cópia para fazer uma análise antes da audiência pública de segunda-feira.

Ao mesmo tempo, registrou satisfação com matéria no jornal do Daclobe da FURB, sobre a defensoria pública, em contraponto ao que é dito em Santa Catarina sobre a importância da supressão da defensoria e uso da advocacia dativa. “Parabéns a todos pelo belíssimo posicionamento, sobre a importância da defensoria pública”, apontou.

Está marcada para quinta-feira, dia 17, às 14h, a primeira reunião da Comissão Especial Temporária para acompanhamento das desapropriações de famílias do Loteamento Artur e outros locais com problemas de retirada de moradores. O anúncio foi feito durante a sessão ordinária pelo presidente da Comissão VANDERLEI PAULO DE OLIVEIRA (PT). “Deverão estar presentes na reunião os Secretários de Defesa Civil, Habitação e da Semascri para tratar dos assuntos referentes ao Morro do Artur e outros”, adiantou Vanderlei. Ainda fazem parte do grupo os vereadores: DEUSDITH DE SOUZA (PP) – relator -; BETO TRIBESS (PMDB), HELENICE LUCHETTA (PSDB), MARCELO SCHRUBBE (DEM) E ZECA BOMBEIRO (PDT) – membros

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 10 de março de 2011

Foto: Câmara Municipal

“O que este governo está fazendo com nossa cidade?”, questionou o vereador VANDERLEI PAULO DE OLIVEIRA (PT), que acredita que o município perdeu a sensibilidade. Para ele Blumenau precisa se resgatar. O parlamentar se comprometeu a trazer para tribuna da Câmara projetos e programas “esquecidos há mais de uma década”. Vanderlei trouxe imagens do abandono da capela mortuária do bairro Escola Agrícola e fez questionamentos sobre a obra que seria realizada no local. Também falou sobre o binário da rua Paris e mostrou a localidade. “Querem fazer uma via expressa do Alto Vale até Itajaí para andarmos a 200 quilômetros por hora e nem o binário da Paris fizeram”, destacou. Oliveira ainda apresentou documentos públicos feitos pela comunidade de Blumenau que, segundo ele, foram abandonados. “O governo instalado na cidade e no Estado está cuidando dos problemas outros e não dos seus próprios”, salientou.

O vereador destacou também a situação pela qual passa o Progresso e solicitou a limpeza da região.  “Quase R$ 7 milhões do governo federal liberados para limpeza dos córregos em Blumenau e o que acontece? As mulheres que moram as margens dos rios estão desesperadas, porque fazem um serviço de aparência, deixam o maquinário nos locais e não fazem nada”, denunciou.

O Vereador Vanderlei Paulo de Oliveira do Partido dos Trabalhadores vem por meio deste, convidá-lo para participar da Audiência Pública sobre a Proibição da Circulação do Transporte Coletivo Intermunicipal em Blumenau. 

 Data: 21/03 – Segunda – feira

Horário: 15 h

Local: Plenário da Câmara de Vereadores de Blumenau.

 Pauta: DISCUSSÃO SOBRE A PROIBIÇÃO DE CIRCULAÇÃO DE ÔNIBUS INTERMUNICIPAIS NOS CORREDORES EXCLUSIVOS DE BLUMENAU.

 JUSTIFICATIVA:

 Sendo procurado por diversos usuários, foi este o caminho escolhido como Vereador. “Queremos conhecer o que está sendo proposto, juntamente com diversas Câmaras de Vereadores de Municípios vizinhos e a sociedade, para depois emitirmos opinião sobre o assunto. Sem conhecer dos projetos e propósitos, não é possível falar sobre o assunto”. “Não é mais crível que alguns Executivos Municipais tomem uma decisão como esta meramente de gabinete, sem ouvir a sociedade civil organizada e a população afetada, como já tentou fazer em 2009 e depois voltaram atrás. Não dá mais para ser comunicado só pela imprensa ou que a Associação dos Municípios, empresários do ramo e técnicos decidam.” – Vereador Vanderlei.

As Câmaras de Vereadores precisam fazer valer os instrumentos e espaços que a sociedade lhe dá para garantir a participação da população, diretamente, nos assuntos que lhes são afetos. As Audiências Públicas são um começo nesta discussão.

A falta de manutenção dos bairros foi tratado na Tribuna da Câmara pelo vereador Vanderlei de Oliveira. Para mostrar que a atual administração não está cumprindo o seu papel, Vanderlei citou quatro exemplos que afetam cinco bairros: Vorstadt, Ponta Aguda, Água Verde e Itoupavazinha/Itoupava Central.

No caso do Vorstadt, os moradores da Rua Leoberto Leal aguardam os serviços de manutenção, pois a via está “Uma vergonha”. Com buracos deixados no sistema de drenagem. Já o Portal da Saxônia, acesso ao Morro da Pedreira (Ponta Aguda) está com diversos problemas de manutenção que coloca em risco a vida de quem por lá é obrigado a passar. Na Jacob Ineichen (Itoupavazinha/Itoupava Central), o abandono está nas obras de asfaltamento, prometido e não executados. Na Rua Joaquim Moser (Água Verde) o problema é o acúmulo de água das chuvas que continua invadindo casas, pela falta de um programa geral de limpeza depois das chuvas de 2008.

Comissão vai acompanhar o Morro do Arthur, da Emil Wehmuth e Outros.

A decisão do Executivo de retirar “na marra” parte dos moradores do Morro do Arthur (Progresso) e Emil Welmuth (Velha Grande) está sendo fiscalizado por uma Comissão Especial na Câmara. A Comissão é presidida pelo vereador Vanderlei de Oliveira, tendo como Relator o Vereador Deusdith de Souza (PP), mais quatro parlamentares.

Quinta feira (03.02), a Comissão realiza sua segunda reunião, agora com moradores representantes das duas comunidades.

GARANTIA DE AMPLA REPRESENTAÇÃO POPULAR NA CÂMARA DE VEREADORES

Há em andamento em nossa cidade uma discussão acalorada sobre a ampliação ou não do número de vagas em nossa Câmara de Vereadores.

Erroneamente a discussão restringe-se ao fato de ser necessária ou não tal ampliação, levando-se em consideração simplesmente o fator numérico, financeiro, alegando-se que se ampliarmos para 23 o número de vereadores ocorrerá, automaticamente, aumento nas despesas.

Ledo engano. O que devemos discutir inicialmente são três pontos.

Primeiro, se queremos ou não o aumento da representação popular. Se quisermos, então somos favoráveis a que a Câmara Municipal de Vereadores de Blumenau tenha 23 membros.

Segundo, mesmo ampliando a representação popular através do aumento número de vereadores devemos mostrar à população blumenauense que estamos interessados também na justa aplicação do dinheiro público. Assim, propomos que do repasse constitucional a ser efetuado pelo Executivo Municipal à Câmara de Vereadores seja deduzido 10%, destinando-os a finalidades altamente necessárias e com controle social. Ou seja, passamos dos 5,0 para 4,5%.

Terceiro, que os 10% (dez por cento) de economia que será efetuado nos gastos (investimentos) da Câmara de Vereadores, pelo período necessário, seja destinado orçamentariamente, parte para auxílio à APAE e parte para o Fundo Municipal de Saúde, ou após discussão, para outros serviços ou obras demandadas pela população.

Queremos, com esta proposta que seja garantida a mais ampla participação popular nas discussões e decisões desta Casa. E por isso mesmo, o aumento do número de vereadores propiciará esta necessária ampliação com a possibilidade de que a população de mais bairros e regiões de nossa cidade passe ser representada.

Propomos, no entanto, que estas medidas, após aprovadas sejam implementadas com a brevidade que as demandas exigem, já nesta legislatura.

Para tanto, a Bancada do Partido dos Trabalhadores submete aos demais vereadores com assento nesta Casa Legislativa a presente proposta básica, podendo ser ampliada e se aprovada e encampada por todos, poderá, se necessário, ser submetida à aprovação da população em ampla discussão.

Blumenau, 24 de Fevereiro de 2011.

 

Vereador Vanderlei Paulo de Oliveira. Líder da Bancada.

Vereador Vânio Francisco Salm. Vice-Líder

Convite para o aniversário de 31 anos do Partido dos Trabalhadores.


NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 14 de dezembro de 2010

Foto: Câmara de Vereadores

“Todas as nossas ações e posições adotadas no período tiveram como norte contemplar os anseios de mais de 300 mil habitantes de Blumenau”. A frase marcou a despedida de 2010 do petista VANDERLEI DE OLIVEIRA, observando que ainda podem surgir novidades antes do final do ano. Ele também pediu desculpas aos familiares pela ausência, em função do trabalho desenvolvido no mandato. Aos companheiros de plenário, disse que não os considera inimigos, mas adversários políticos, na luta por melhorias pela cidade. Também agradeceu a imprensa blumenauense, pela atenção dedicada aos trabalhos legislativos, aos servidores da câmara e aos colegas de gabinete. Da mesma forma lembrou sua participação na coordenação do fórum de vereadores de Santa Catarina e informou que será um dos oito representantes do poder legislativo no Conselho Nacional das Cidades. O líder petista adiantou que irá continuar realizando o mesmo trabalho no próximo ano.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 09 de dezembro de 2010

Após ouvir o protesto do presidente do Conseg do bairro Vorstadt, sobre a falta de atenção do Executivo com a região, o vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT) disse que o desrespeito se estende a todos os bairros. “Fico perplexo quando vejo que as coisas não acontecem, ainda mais quando a responsabilidade é do poder público”, manifestou. Oliveira alegou ainda que o local não é o único a ser esquecido. “Projetos que passaram por aqui também foram deixados de lado, como o dique da Vila Nova”, afirmou. O petista ainda considerou que muitos dos responsáveis pelo governo da cidade não compreendem como funciona a sociedade. “Ainda tem gente que desmente e diz que a cidade está bem cuidada”, ironizou.

Ainda sobre o assunto, o parlamentar citou a obra do viaduto da Mafisa, que não está concluído. “Empresários pagaram R$ 100 mil, a prefeitura R$ 50 mil, contratou e licitou o projeto, entregou para ser executado e hoje o viaduto não está liberado porque o executivo não cumpriu sua parte”, considerou. Segundo o vereador, a empresa quer terminar a obra para receber os recursos, mas está impossibilitada.

Ele ainda comentou os documentos apresentados pelo vereador Deusdith de Souza, com denúncias contra a Secretaria de Planejamento de Blumenau. “Os documentos não são assinados por uma pessoa qualquer, são engenheiros e arquitetos que vivem a vida do município e que procuram a Câmara para se amparar nos seus direitos contra os mandos e desmandos que acontecem na cidade”, relatou. O petista ainda alegou que “o Executivo pratica crimes dentro do próprio governo e que parte das leis do Legislativo é conforme as ordens do prefeito. É preciso mudar o comportamento no que diz respeito à defesa da cidade e do estado democrático de direito”, defendeu.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 07 de dezembro de 2010

Baseado no discurso do seu companheiro de partido, Vânio Salm, o vereador Vanderlei de Oliveira (PT) criticou a atual situação das escolas, centros de educação infantil e unidades de saúde na cidade. “Está de mal a pior, assim como também a segurança pública. E, apesar disso, os governantes continuam dizendo que está tudo bem. Bem aonde?”, questionou.

O petista disse que no próximo ano convidará os engenheiros do DNIT e os responsáveis pela secretaria municipal de obras e Deinfra para explicar o motivo pelo qual o Viaduto da Mafisa ainda não foi liberado. “O povo luta há anos por esta obra. O governo federal liberou R$7 milhões e nada foi feito. O problema é que Blumenau não faz o dever de casa”, afirmou.

Ainda comentou sobre a votação do orçamento da prefeitura para o próximo ano, que é superior a R$1 bilhão. “Até onde sei a cidade tem 76 credores com ordem judicial de pagamento. Já enviei requerimento à procuradoria do executivo perguntando como e quando o departamento faria os pagamentos, mas eles se negam a responder”, finalizou.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 02 de dezembro de 2010

O vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT) ironizou afirmação do prefeito João Paulo Kleinubing de que Blumenau virou uma nova página. Ele citou o protesto dos moradores da rua Valéria Hostins, no Garcia, para dizer que “Blumenau não virou uma nova página, porque continua com muitas dificuldades”. O petista também fez um apelo aos proprietários dos grandes meios de comunicação para que permitam que os seus profissionais mostrem o que é verdade na cidade. “A grande mídia tem sido complacente com o prefeito em muitos espaços, considerando tudo o que ele coloca, como sendo verdade e que não é verdade”, observou. O vereador também achou estranho o espaço concedido ao prefeito para falar sobre o transporte coletivo, depois que o Ministério Público resolveu o problema. “Deram página inteira para o prefeito se justificar e não permitiram o contraponto do outro lado. Vamos continuar cobrando para que a grande imprensa permita que as coisas aconteçam de uma forma clara”, opinou.

Em outro momento, Oliveira citou a movimentação de promotores e a retomada do processo no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, pela anulação da licitação que privatizou o sistema de esgoto de Blumenau, para lembrar que “já havia alertado a Foz do Brasil, o prefeito, o Luiz Ayr e outros para colocar as barbas de molho”. Ao citar o projeto aprovado pela Câmara, ele criticou a postura de colegas de parlamento: “Esta casa tem sido tão omissa às vontades e mentiras do prefeito que está perdendo sua linha mestra. Alguns vereadores têm apresentado os problemas, mas outros bem preparados e falantes, dizem que a cidade está bonita e tranquila”, disparou.

Ao lamentar a falta de interesse da administração em recuperar a Escola Julia Strzakolwzka, o vereador mostrou o Boletim Oficial do Município para provar que a prefeitura tem cerca de R$ 1,7 milhão de reais disponível para renovar o contrato de locação dos carros usados por comissionados. Outro contrato, superior a um milhão, destina-se a prestação de serviços especializados de tecnologia de informação para implantação de nota fiscal eletrônica.  Mais suspeito ainda, de acordo com o petista é que a empresa é ligada a prefeitura de São Paulo administrada pelo DEM.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 30 de novembro de 2010

Em 2004 a passagem do transporte coletivo de Blumenau custava R$ 1, 65 e hoje está em R$ 2,57, o que representa um aumento de mais de 55%. A afirmação foi feita pelo vereador VANDERLEI DE OLIVEIRA (PT), ao defender os trabalhadores que estão em greve, reivindicando aumento salarial. “Este valor foi empurrado como verdade pelo Executivo e pelo Seterb na ‘montagem’ chamada de auditoria”, alegou. O parlamentar afirmou que o índice inflacionário do INPC não chegou a 30%. Oliveira ainda lamentou que quando o aumento de 11,47% é discutido, a decisão é rápida, mas em relação à diferença de 1,5% a mais no salário, os responsáveis pelo governo ‘desaparecem’ e não retornam a solicitação da comunidade. “Quando foi para buscar mais de R$ 10 milhões, que até hoje não prestaram contas, foram rápidos, agora quando é para dar mais dois terminais para as empresas de transporte coletivo, não acontece”, alegou, referindo-se ao governo municipal. O petista afirmou que o Executivo é omisso no cumprimento da legislação e mostra que não está preocupado com a população.

Em seguida, o vereador mostrou-se preocupado com a situação da segurança no município. “Hoje, temos um policial civil para mais de 25 mil habitantes. É a mesma coisa que botarmos um policial para cuidar de toda a população de Pomerode, que ainda não chegou aos 25 mil moradores”, comparou. Ele defendeu a necessidade da população cobrar respostas das autoridades responsáveis.

O parlamentar ainda registrou os “gastos” do poder Executivo. “O governo de Blumenau não investe, só gasta”, explicou. Segundo Oliveira, aproximadamente R$ 20 milhões serão utilizados na saúde durante o ano de 2010. “Não gastaram tudo, poderiam ter investido cerca de R$ 2 milhões e meio em unidade de pronto atendimento”, informou. O petista também anunciou que aproximadamente R$ 500 mil reais, dispostos pelo Ministério da Saúde, poderiam ser investidos no Centro de Zoonoses de Blumenau, que atenderia animais abandonados, feridos ou doentes. “Não aconteceu nada, não encontraram espaço para resolver o problema do desespero da comunidade e dos defensores dos animais, que encontram animais jogados por todos os cantos”, afirmou. Por fim, sugeriu que a instalação poderia ser feita no antigo terreno da Artex.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau

NA TRIBUNA: Pronunciamento na sessão do dia 25 de novembro de 2010

Ao anunciar que novas questões relacionadas a Empresa Foz do Brasil, Prefeitura e Samae deverão vir à tona em breve o vereador VANDERLEI PAULO DE OLIVEIRA (PT) aconselhou “pôr as barbas de molho”. Ele ainda declarou que a população está enfrentando diversos problemas com as obras de tratamento do esgoto e o atendimento da Foz do Brasil. O parlamentar citou algumas ruas que, de acordo com ele, ficaram em péssimas condições após a passagem da canalização de esgoto:  Pastor Oswaldo Hesse, Pedro Krause, Boa Vista, Oscar Holz, Frederico Jensen, Alameda Rio Branco e algumas ruas do bairro Vorstadt. “Deem uma olhada em como está a situação”, recomendou.

Em seguida, Oliveira falou a respeito do transporte coletivo. O vereador lembrou que a partir de 2005 quando João Paulo Kleinübing reduziu 299 horários de ônibus na cidade e as dificuldades começaram. Também recordou que em 2007 o Legislativo chamou atenção para a renovação do transporte coletivo e disse que em 2008 não foi esclarecido o que aconteceu com os R$ 10 milhões 123 mil. “E recentemente, antes das discussões sobre questões de trabalho e condições aos passageiros ainda chamávamos atenção para o fato do consórcio Siga ter ganhado de presente do prefeito os dois novos terminais que eram de sua responsabilidade”, afirmou.

Em outro momento, ele sugeriu que a Câmara de Vereadores encaminhe uma moção de apelo a Secretaria de Segurança Pública, ao governador do Estado e ao comando das polícias em Santa Catarina para que não permitam que a força policial que nos protege nos abandone durante a operação verão. “Está na hora dos Conselhos de Segurança fazerem o trabalho por Blumenau e por Santa Catarina”, observou.

O parlamentar também se mostrou indignado com a situação da saúde e destacou que o governo federal colocou a disposição de Blumenau dois milhões de reais para construção da unidade de pronto atendimento, inicialmente na região norte. “Blumenau recebeu autorização para construção, o governo estadual repassaria mais 175 mil por mês para manutenção e sabe o que aconteceu? O governo do estado negou-se a cumprir sua parte e o governo de Blumenau faz uma discussão meramente financeira”, salientou.

Vanderlei ainda solicitou ao representante da Prefeitura, Braz Roncáglio, que peça ao prefeito para acessar um requerimento enviado ao Executivo sobre um crime ambiental que ocorreu durante a execução de uma obra de reforma no pontilhão da rua Chipre, no Loteamento Caité, no bairro Progresso.

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Blumenau